RESUMO PARA CONCURSO PROFESSOR: TEORIA DE PAULO PESTALOZZI

RESUMO PARA CONCURSO PROFESSOR

TEÓRICOS DA EDUCAÇÃO

TEORIA DE PAULO PESTALOZZI

Pestalozzi nasceu em Zurique, Suíça, em 1746 e faleceu em 1827. Considerado o reformador ou o promotor da escola popular. Embora a posição da pedagogia seja um pouco obscura, ele defende a idéia, de que a escola precisa simplificar os conteúdos dados e evitar a decoreba. Fundamenta a educação no respeito e no amor, como forma de reconhecer, manter e promover em cada ser a dignidade da pessoa.
Pestalozzi foi o educador que pôs em prática os princípios do empirismo que, antes dele, já começavam vagamente a influir na opinião dos professores. Se a vida mental resulta da experiência sensorial ou se, por sua influencia, se desenvolve, então educar é “construir na mente do aluno uma experiência definida a luz da percepção sensorial clara”.
Pestalozzi disse está convencido de que a criança é dotada de poderes ou de faculdades inatas que só se desenvolvem mediante o enriquecimento da experiência sensorial. O emprego do método empírico no estudo dos estados mentais levou filósofos dos séculos XVII e XVIII a compreensão de que a vida mental resulta da experiência sensorial. Esse novo ponto de vista psicológico produziu também uma mudança na concepção de educação. “Educar deixou de ser treinar, disciplinar as faculdades, e assume o sentido de enriquecimento da experiência sensorial”.
Foi Pestalozzi quem pôs em prática a nova maneira de considerar o processo educativo. O esforço fundamental da educação, para Pestalozzi, que se propõe a tornar psicológica a educação, é analisar o conhecimento em qualquer ramo, nos seus elementos mais simples, e apresentá-los naturalmente a criança. Os dois aspectos característicos do processo de Pestalozzi são, portanto, começar com as experiências da criança, pela observação, para haver idéias claras, e, prosseguir por meio da instrução oral, cuidadosamente, para o conhecimento sistemático e organizado.
Em qualquer ramo, disse Pestalozzi, o ensino deve começar dos elementos mais simples e processar-se gradualmente, segundo o desenvolvimento da criança. Desta maneira, essas concepções produzem profundas mudanças na escola. Passou- se a ensinar maior número de matérias e todas elas obedeciam a uma graduação que partia da observação das coisas próximas para as remotas, sempre atendendo ao desenvolvimento do aluno. Assim o interesse do aluno seria consultado e o processo de formação devia estar associado àquilo que tem maior relação com o aluno, isto é, ao que lhe pertence, ao que existe no seu ambiente, sempre pelo emprego da intuição.
Influenciou profundamente a educação; ele fez uma grande adaptação na educação publica. Ninguém acreditou mais que Pestalozzi no poder da educação, para aperfeiçoar o individuo e a sociedade. Com o seu entusiasmo, influenciou reis e governantes a pensarem na educação do povo. Deu novo impulso à formação de professores e ao estudo da educação como ciência. Foi o primeiro a tentar fundamentar a educação no desenvolvimento orgânico, mais que a transmissão de idéias.
Em 1792, Pestalozzi escreve o seu livro mais erudito: Minhas Investigações sobre o curso da Natureza no desenvolvimento da raça humana. A obra é recebida sem entusiasmo. Pestalozzi decide ser mestre-escola; e parte para um trabalho na sua escola. O lar era para ele a melhor instituição da educação, base para a formação política, moral e religiosa. A instituição educacional deveria se aproximar de uma casa bem organizada.
A prática pedagógica de Pestalozzi, sempre valorizou o ideal do educador, isto é, a educação poderia mudar a terrível condição de vida do povo.
Tinha uma fé indomável e contagiante na educação como o meio supremo para o aperfeiçoamento individual e social. Democratizou a educação, proclamando ser o direito absoluto de toda a criança, ter plenamente desenvolvidos os poderes que Deus lhe havia dado. O professor é comparado ao jardineiro que providencia as condições para a planta crescer; a educação sensorial é fundamental e os sentidos devem estar em contato direto com os objetos; a mente é ativa. Na escola de Pestalozzi, mestres e alunos ficavam juntos o dia todo. No dia escolar, as atividades eram bem diversificadas: rezavam, tomavam banho, faziam o desjejum, brincavam, estudavam as lições, almoçavam, lançavam. Duas tardes por semana, os alunos faziam excursões em locais culturais.

No livro, Os Grandes Pedagogos- atualidades pedagógicas, destacamos algumas passagens que explicam o quanto Pestalozzi era envolvido com a educação: “…renunciei aos prazeiros da vida para consagrar-me a tentativa de educação do povo, e aprendi a conhecer-lhe a verdadeira situação e os meios de mudá-la, pág 214”. “aperfeiçôo-me a mim mesmo, quando faço, aquilo que devo. A lei do que quero, pág 215”. “Como produto do meu próprio eu, sinto-me independente do egoísmo de minha natureza animal e dos laços de minhas relações sociais, tendo a um tempo, o direito e o dever de fazer o que me enobrece e o que é vantajoso para meus semelhantes”, pág 215”. “… minha ação tende a elevar a natureza humana ao que ela tem de mais alto, de mais nobre: a elevá-la pelo amor, e não é senão nessa força sagrada, o amor, que reconheço o instrumento de libertação do homem, de tudo quanto há nele de divino e de eterno, pág 223”.

Destaques na teoria de Pestalozzi:

* Pestalozzi condenava as punições e recompensas;
* As classes privilegiadas desprezavam o povo;
* Foi o primeiro a pesquisar as leis fundamentais do desenvolvimento;
* O defensor dos princípios empíricos;
* O desenvolvimento é uma aquisição gradativa de poder;
* A educação começa com a percepção de objetos concretos;
* Pestalozzi tinha uma fé indomável e contagiante na educação como o meio

supremo para o aperfeiçoamento individual e social;
* A religião é mais profunda do que dogmas, ou credos;
* Deu novo impulso à formação de professores e ao estudo da educação como uma ciência;
* Psicologizou a educação;
* Procurou apresentar seu método sob formas apropriadas as leis da psicologia;
* Empregava as letras do alfabeto presas a cartões, e introduziu lousas e lápis;
* Professor é comparado ao jardineiro, que providencia as condições para a planta crescer;
* A educação sensorial é fundamental e os sentidos devem estar em contato direto com os objetos;
* A educação poderia mudar a terrível condição de vida do povo;

* Somente a educação poderá contribuir para que o povo conservasse os direitos conquistados;
* O lar era para ele a melhor instituição de educação, base para a formação política, moral e religiosa;

BAIXAR EM PDF

Material Completo se encontra na página:

https://questoesconcursopedagogia.com.br/mais1200questoes/

Sobre Luiz Carlos M.

Experiência profissionais: professor de Ensino Básico, Professor em Institutos, coordenador pedagógico, diretor escolar. Prestou vários concursos municipais, estaduais, federais e seleções de escolas públicas e privadas obtendo boas colocações. Contato WHATSAP (88) 94457345

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *